Qual a melhor maneira de aquecer a água para banho em uma casa, aquecedores a gás ou termossolares? E em um prédio de apartamentos? Qual o mais eficiente? Qual o mais barato? A resposta para estas perguntas pode variar muito. Diversos fatores devem ser avaliados, entre eles as vantagens e desvantagens de cada sistema. Porém, em uma boa parte dos casos, é possível dizer que a melhor solução é uma combinação de ambos.

E quais são as vantagens e desvantagens do gás?

E do solar, quais são?

Sistema de apoio

Um sistema que utiliza energia solar tem potencial para ser a solução mais eficiente – quando bem dimensionado, projetado e instalado, obviamente. Afinal, o sol é uma fonte energética renovável e gratuita, e a recuperação do investimento nos equipamentos e serviços associados é quantificável.

No entanto, embora o sol esteja disponível por cerca de 12 horas todos os dias, fatores climáticos (nuvens, por exemplo) podem afetar a capacidade de um sistema termossolar de absorver efetivamente a energia e transferi-la para a água. E, em determinados dias ou mesmo épocas do ano, a capacidade de aquecimento de água pode ser insuficiente para atender a demanda.

É onde entra a necessidade de um sistema de apoio para fazer a complementação do aquecimento. Neste sentido, aquecedores a gás – particularmente os digitais – se destacam pela capacidade de aquecer grandes volumes de água de forma rápida e eficiente.

Fator economizador

Nesta ótica, na verdade a energia solar é um fator economizador na equação. Quando o aquecimento solar funciona a plena capacidade, ele minimiza ou até zera a necessidade do consumo de gás. Por outro lado, mesmo quando a energia provida pelo sistema solar é pouca, qualquer acréscimo de temperatura providenciado representa uma economia de gás.

Tipos de apoio

Apoio no reservatório

Neste método os dispositivos monitoram a temperatura da água armazenada no reservatório. Quando, por consumo ou por resfriamento natural, a temperatura da água armazenada cai abaixo de um valor pré-determinado, é acionado o sistema de aquecimento complementar.

A maior parte dos reservatórios instalados e disponíveis no mercado hoje contam com uma resistência elétrica para a realização deste complemento, porém esse aquecimento pode levar a um aumento na conta de energia. A utilização de aquecedores a gás como apoio pode aumentar a eficiência do sistema significativamente, com possibilidade de maior controle sobre o acionamento e temperatura da complementação. Apoio a gás neste caso potencialmente promove uma economia no custo mensal de operação do sistema. O nível de conforto é garantido, preservando-se a disponibilidade de água quente, e mantendo-se a temperatura da água no reservatório acima de 60ºC minimiza-se o risco de proliferação de bactérias em seu interior.

Apoio no ponto de consumo

Neste método, o sistema de apoio é acionado somente quando há demanda de água pela abertura de um ponto de consumo (ducha, torneira, etc).

A inteligência (rendimento) deste sistema pode ser dada por duas alternativas:

Uma delas é utilizando dispositivos (por exemplo, válvulas com função desviadora) que direcionam a água de acordo com a temperatura – se a água já está na temperatura adequada, ela é direcionada diretamente para o consumo; caso esteja abaixo da temperatura, é direcionada para o sistema de aquecimento secundário para efetuar a complementação, e daí segue para o consumo; ou…

Outra alternativa são os aparelhos de aquecimento que contam com a “Função Solar”, que detectam a temperatura da água automaticamente, e acionam ou desligam de acordo com este ajuste. Não é necessário desvio, o próprio aparelho determina a necessidade de acionamento ou não de acordo com a temperatura da água que está passando por ele.

Este método promove a maior eficiência em termos de consumo de gás, uma vez que é acionado somente quando existe real necessidade de complementação da temperatura.

É também o método mais recomendado para o caso de apoio individual de sistemas prediais centrais. Nesta configuração, cada apartamento pode ter o seu próprio aquecedor com a Função Solar, e há economia à medida que cada unidade terá sua conta de gás proporcional ao seu consumo individual, e, também, evitando os altos custos de manter a disponibilidade total de água quente no sistema central.

Porém, neste método é recomendado que periodicamente seja efetuada a elevação de temperatura no reservatório para evitar a proliferação de bactérias.

Em resumo

Os sistemas mais eficientes são aqueles adequadamente dimensionados e instalados por profissionais qualificados. Sistemas que utilizam energias renováveis (por exemplo o solar) devem atuar em sinergia com sistemas que possam suprir e complementar a demanda com alto grau de disponibilidade (por exemplo, os sistemas de aquecimento a gás). Trabalhando em conjunto, se obtém o melhor dos dois mundos, aproveitando as melhores vantagens de cada sistema e promovendo economia sem abrir mão do conforto.

Publicado originalmente em Janeiro de 2020